3 de mai de 2016

Zé Roberto diz que era "monstro" com mulheres e que Rio é o maior desafio

AP

O técnico da seleção brasileira feminina de vôlei feminino, José Roberto Guimarães, relembrou um pouco sua carreira como treinador ao Fantástico, da Rede Globo e ressaltou como era difícil treinar as mulheres antigamente, sem conhecimento sobre o “mundo feminino”, além de definir a Rio-2016 como o seu maior desafio.
Zé Roberto foi sincero e disse que “deveria ser um monstro” quando assumiu a seleção feminina de vôlei. “Eu acho que trabalhar com homem é mais fácil. Com mulher tem que ler nas entrelinhas. Eu deveria ser um monstro antigamente, porque eu falava que tinha que se jogar na bola mesmo com dor nas costas. TPM? Não sabia disso e depois que eu conversei com fisioterapeutas, com ginecologista e aí entendi”, comentou o treinador.
Além de entender as mulheres, Zé Roberto e todos que trabalham com ele com a seleção feminina precisaram mudar o jeito de treina-las, o que aconteceu depois da marcante derrota para Rússia, nas Olimpíadas de Atenas, quando o Brasil perdeu após ter cinco match points.
“Quando aquela bola caiu para fora, minha vida caiu com ela. A gente tinha que entender não porque a Rússia tinha vencido, mas por que tínhamos perdido. Tínhamos que quebrar paradigmas de como treinar a brasileira e tínhamos que deixa-las muito fortes e foi o que aconteceu quando ganhamos a primeira medalha”, relembrou.
Agora na Olimpíada do Rio de Janeiro, as brasileiras são as grandes favoritas à medalha de ouro e Zé sabe muito bem o desafio de jogar em casa. “Acho que 2016 será o maior desafio das nossas vidas, a expectativa é grande e é isso que me preocupa”, completou. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário