21 de set de 2012

Brasil e Rússia_Londres2012_Recado a Bruno Voloch

Gamova a "Avatar"__A Ugly Gamova com seus 2,02 altura, incomum entre as mulheres tornou-se uma excelente atacante de bolas altas mas limitada na maioria dos fundamentos:bloqueio,passe,defesa,saque e recepção.Hoje jogadora internacional que se preze tem que dominar pelo menos 3 fundamentos.
Nesta partida de Brasil e Russia o que eu vi foi a Russia beber do "próprio veneno"(Jogos de Atenas, em 2004, e nas finais dos Mundiais de 2006 e 2010) que foi não conseguir fechar o jogo depois de 6 match points.
O Brasil que sempre foi muito criticado(palavra leve para difamação) de não dominar os nervos ,de ser amarelão e vários adjetivos depreciativos de quem nunca "jogou voleyball na vida' teve na hora certa a paciência e frieza para fechar ,ganhar o jogo,despachar Gamova "Avatar" para a casa.
A vitória contra a China por 3x2 foi o estupim para a seleção brasileira tomar consciência que ela era a campeão olímpica de 2008 e jogar como medalhistas olímpicas.Jogaram como nunca contra a Russia e USA e todos nós sabemos no que deu___Brasil Bicampeão Olímpico(2008 e 2012).
Esta vitória serviu para muitos críticos fazerem uma auto crítica e lembrar que todas as seleções do mundo seja no feminino e masculino tem seus "apagões".
Quem diria que a poderosa Russia de grande tradição no voleyball mundial ia desperdiçar 6 match points;não é 1 ou 2 ,foram 6 match points.
Quem diria que o Brasil iria virar o jogo depois de um 1° set atípico contra a fortíssima seleção americana.
Não podemos esquecer que o 1°set os USA ganharam de 25x11; ou seja 14 pontos de diferença.
O que aconteceu depois foi uma tremenda reação do Brasil e um tremendo apagão da centrada e focada seleção americana(11/25, 25/17, 25/20 e 25/17).
Um axioma que serve para o tenis e o volei é que se o jogador(es) perder o foco em segundos o adversário pode abrir vários pontos ou até mesmo ganhar a partida;aliás foi o que aconteceu na final com a seleção masculina do Brasil contra a Russia
Voltando para a "Ugly Gamova" :. ela vai ter que "baixar a bola", a arrogância que lhe é muito peculiar e lembrar que vai ter que conviver com a imagem da nossa "Eterna Musa Sheilla" virando todas as bolas;esta sim podemos dizer que é uma das maiores jogadoras do mundo.
As meninas do Brasil(Sheilla,Thaysa,Fabiana,Dani Lins,Fabi,Jaque,Paula,Fernandinha,Tandara,Adenízia e Natalia) que eu amo tanto fica o meu desejo que elas continuem jogando este bolão que elas jogaram nesta 2°fase da Olimpíada de Londres.
Aos críticos acríticos levem seus comentários nada acrescentadores a timinhos de voleyball do seu bairro.
Mundial 2014 na quadra
Fui

20 de set de 2012

Volleyball - Women Gold Final BRASIL-USA - London 2012 Olympic Games

Transmitido ao vivo em 11/08/2012 por olympic VO40 - Women - Gold Final BRA-USA - Volleyball - 11 August 2012 - London 2012 Olympic Games

Volleyball Women's Quarterfinals - Brazil v Russian Fed. Full Replay - London 2012 Olympic Games

Publicado em 10/08/2012 por olympic Volleyball Women's Quarterfinals - Brazil v Russian Fed. Full Replay from the Earls Court at the London 2012 Olympic Games. -- 7 August 2012 Volleyball was conceived as a less strenuous alternative to basketball. The sport became popular very quickly and made its Olympic debut in 1964. Find more about Volleyball at www.olympic.org/volleyball

Volleyball - Women Brasil e China-CHN - London 2012 Olympic Games

Transmitido ao vivo em 03/08/2012 por olympic VO19 - Women - BRA-CHN - Volleyball - 03 August 2012 - London 2012 Olympic Games

18 de set de 2012

Volleyball - Women SF 2 BRASIL-JAPAN - London 2012 Olympic Games

Transmitido ao vivo em 09/08/2012 por olympic VO36 - Women - SF 2 BRA-JPN - Volleyball - 09 August 2012 - London 2012 Olympic Games

13 de set de 2012

Sheilla a musa da seleção bicampeã olímpica em ensaio sensual na VIP

Após o sucesso de Mari Paraíba na Playboy, outra jogadora de vôlei decidiu fazer um ensaio sensual. O UOL Esporte apurou que a oposto Sheilla, bicampeã olímpica com a seleção brasileira, será a capa de outubro da revista VIP. A edição será lançada em 28 de setembro.
A jogadora assinou o contrato com a publicação e até já fez as fotos. A produção foi em São Paulo durante a folga de Sheilla após os Jogos Olímpicos de Londres.
As duas medalhas de ouro conquistadas por Sheilla - ela foi campeã olímpica em Pequim-2008 e Londres-2012 - e uma bola de vôlei dourada ajudaram a compor o cenário do ensaio.
Há algum tempo a VIP tenta contar com uma atleta em sua capa. Após o bi olímpico do vôlei feminino, a publicação se movimentou para ter uma das campeãs. Considerada uma das mais bonitas da equipe brasileira, Sheilla foi a escolhida. As negociações começaram logo após a oposto desembarcar no Brasil.
Antes de aceitar a proposta, a jogadora do Sollys/Nestlé consultou seus familiares, que não se opuseram ao ensaio. Ela, então, deu o ok para a revista. Durante o período de folga, fotografou e mostrou-se à vontade, deixando de lado sua conhecida timidez.
Sheilla será a quarta estrela do vôlei a sair nas páginas da VIP. Ana Paula posou em 2000, Leila em 2004 e Jaqueline em 2007. Nenhuma delas, porém, estava tão em alta na mídia e na carreira quanto a oposto - hoje, Sheilla é considerada uma das melhores jogadoras do mundo.
Naão deixem de visitar o site oficial e a pagina no facebook

10 de set de 2012

Logan Maile Lei Tom da seleção feminina dos USA

Logan Maile Lei Tom-nasceu em Napa, 25 de maio de 1981. Logan Tom fez e faz tudo muito bonito quando se trata de voleibol. Ela é completa; ataca,bloqueia,saca bem,defende e recebe muito bem parecendo muito com a nossas bicampeãs olímpicas Sheilla e Jaqueline que tambem dominam vários fundamentos.
E tambem é claro é muito linda; dizem os fãns do volei feminino e as revistas que ela tem as mais belas pernas e a mais “sarada” barriga de todas a s seleções do mundo.Em 2004 fez um ensaio de biquíni para a revista FHM(For Him Magazine) em uma matéria sobre as atletas olímpicas dos Estados Unidos. No ano seguinte a mesma revista a elegeu como uma das 100 mulheres mais sexies do ano, sendo que ela ganhou a posição de número 91.
Participou de quatro Jogos Olímpicos defendendo a seleção dos Estados Unidos: Sydney 2000, Atenas 2004, Pequim 2008 e Londres 2012. Aos 19 anos foi a atleta mais jovem dos Estados Unidos a participar de uma Olimpíada jogando voleibol.
Os esportes sempre estiveram presentes na vida de Tom. Seu pai Mel Tom jogou futebol americano profissionalmente no Chicago Bears da NFL e Philadelphia Eagles.
Cresceu com a mãe e o irmão em Utah, mas passava os verões no Havaí com o pai aprendendo a surfar.Enquanto estudava ela participou do time de basquetebol, chegando a ser convocada para o time do Estado. Na faculdade também praticou lançamento de dardo e chegou a ser a primeira colocada em sua classe.
Sua carreira profissional a enviou do Brasil para o Japão para sua equipe atual, na Turquia, e até mesmo para as praias nos EUA. Em 2006, Tom jogado profissional de vôlei de praia.
E agora estará novamente aqui no Brasil defendendo o Unilever do Rio comandada por Bernardinho nesta temporada 2012/2013 da Liga Feminina de Volei do Brasil. Um reforço de peso, para formar a espinha dorsal do time com Fofão, Pavan, Natália e Fabi. E fazer o time de Bernardinho ter condições de brigar com mais chances contra o selecionável Sollys/Nestlé.
Algumas curiosidades sobre Loga Tom por ela mesmo ao dar numa entrevista para o site USA Today.com.
Lei Meile. É o meu nome havaiano. Muito bonito isso significa filha de Meile. Meile nome havaiano foi do meu pai.
Eu passava os verões lá. Meus pais são separados, então eu gastaria ano letivo com a mãe e depois o verão com o pai.
Quando você é uma criança você tem todo esse tempo fora. Agora, eu praticamente trabalhar. Vou de temporada profissional para temporada da equipe nacional para temporada profissional. Quero dizer que ficar em contato com a família lá, mas eu realmente não tenho sido para o Havaí em um longo tempo.
Quando eu comecei a jogar no exterior era difícil se acostumar. Acho que a maior coisa é tudo aqui é tão acomodados para nós, apenas com as lojas, as metas, as Walmarts. No exterior, muitos deles, especialmente quando eu joguei em pequenas cidades na Itália, eles têm suas especificidades açougues pequenos para as carnes e suas lojas de queijo pequenos e coisas assim.
As estradas, meu Deus. As estradas são tão pequenas no exterior em comparação com as estradas abertas que temos aqui na cidade. Coisas como essa, você realmente não percebem.
Eu ando muito. Eu tento ver o tipo de cultura. Em Istambul, é bom para mim, porque eu meio que vive perto da praia, então eu saio do mar muito e apenas uma espécie de frio lá.
Eu estava jogando sem parar por um longo tempo, desde que eu tinha 15, 16 com a equipe nacional, que eu era um pouco queimado e eu queria tentar a praia. Ou pelo menos ter um pouco de diversão. Eu acho que com vôlei e da praia, que é muito bonito em casa. Eu cresci na praia no Havaí, e eu tenho um monte de amigos na praia. Foi um tempo bom. Eu gostei.
Para mim, é completamente dois esportes diferentes apenas chamado a mesma coisa. Apenas mentalmente, emocionalmente, tecnicamente, eles são muito, muito diferentes.
Houve anos em que eu chamo de minha mãe, eu sou como, 'Eu nunca vou jogar vôlei novamente. Wah, wah, wah ". ... Mesmo se eu tive um tempo duro com ele, eu sempre achei que o amor que eu tinha por ele. É sempre voltar.
O ano olímpico definitivamente é mais predominante e na vanguarda porque é praticamente a única chance que temos de ser visto pelo público nos Estados Unidos. ... Você faz mais eventos de mídia, você vai para mais torneios, onde as crianças serão e coisas assim. É bom, na verdade. Que se sente tipo, bem de como eu posso fazer algumas coisas mais do que apenas jogar o esporte.
Há apenas como uma vibe diferente nos quatro anos. Você já está treinando com o grupo diferente das meninas. ... Para nós, tivemos treinadores diferentes a cada ano por isso é um estilo diferente de treinamento. As meninas entram e saem o tempo todo. Pontos diferentes para as Olimpíadas. O verdadeiro espírito olímpico, você pode sentir isso, mas muito do que é diferente para mim pelo menos.
Perder qualquer jogo é sempre decepcionante. O jogo da medalha de ouro, você pode imaginar o quanto mais o que é. Como eu lido com as coisas, coisas emocionais, entrego-me algum tempo para separar dela para que eu possa pensar com a cabeça limpa. Agora eu estou bem. É quase quatro anos mais tarde.