27 de abr de 2014

Unilever vence a Superliga pela nona vez e confirma hegemonia

O Unilever confirmou sua hegemonia na Superliga feminina. O time do técnico Bernardinho venceu o Sesi por 3 sets a 1, com parciais de 21-11, 21-12, 13-21 e 21-16, e sagrou-se campeão da competição nacional pela nona vez, neste domingo, no ginásio do Maracanãzinho.

"Tem dois componentes que eu considero fundamentais que digo e acredito: muito trabalho e união do grupo. Isso é uma causa que essas jogadoras defendem e é muito bonito. Nós construímos isso e elas são as grandes representantes. Nosso grupo tem base sólida para trabalhar e o resultado é esse", comentou Bernardinho.

Em sua décima decisão consecutiva, o Unilever teve o amplo domínio do confronto contra uma equipe que chegava à final pela primeira vez. Só levou um susto no terceiro set, quando permitiu reação do Sesi. O título, porém, esteve longe de ser ameaçado. 

No início do jogo, a equipe carioca abriu seis pontos (11-6) em uma bola de contra-ataque da ponteira sérvia Mihajlovic. Praticamente manteve a vantagem antes do segundo tempo técnico e caminhou com facilidade para fechar o primeiro set por 21-11.

O panorama da partida seguiu o mesmo na segunda parcial. O Unilever abriu 5-1 no início do set, permitiu que o Sesi esboçasse uma reação ao fazer 6-4, mas contou com boa atuação da ponteira Gabi para novamente abrir a diferença. Dois aces consecutivos da ponteira Amanda fizeram a equipe fechar a parcial por 21-12.

Na base do 'tudo ou nada', o Sesi melhorou no terceiro set e ameaçou uma reação. Contou com queda da recepção do Unilever e obrigou Bernardinho a parar o jogo. A pausa, porém, não adiantou. Parcial para a equipe paulista por 21-13.

"Hoje, fomos traídos um pouco pelo emocional no terceiro set, elas se soltaram e nós falhamos na hora de fechar. O mais importante é que soubemos retornar. Essa foi uma temporada de superação e as meninas souberam acreditar na força do grupo.", disse Bernardinho.

A reação, porém, parou por aí. O Unilever voltou a dominar a partida abrindo 6-1 logo no início do quarto set. Uma boa passagem da ponteira Pri Daroit pelo saque ajudou o Sesi a reduzir a diferença no 10-7. O time carioca, porém, manteve a consistência para fazer 21-16 e comemorar mais um título no Maracanãzinho.

Um dos destaques do jogo foi a veterana levantadora Fofão que, aos 44 anos, foi eleita a melhor da final. "A Fofão é a síntese da atleta que inspira as pessoas pela paixão que tem pelo que ela faz. É uma jogadora que tem que estar sempre no voleibol, porque é um exemplo para todas as jovens. Ficou praticamente 15 dias sem treinar, mas sempre esteve com a equipe em todos os treinos. Antes do jogo eu disse a ela: 'obrigado por tudo que você fez e, conseguindo ou não conseguindo, está bom'. Ela merece o que colheu e ver o time todo em volta dela foi fantástico ", disse Bernardinho.
_Uol_











20 de abr de 2014

Sesi exalta a vitória da paciência na semi da Superliga


Foram cinco match points contra após um set  por 21/8. A emocionante virada do Sesi, que garantiu ao time paulistano sua primeira final de Superliga Feminina de Vôlei ao bater o Osasco por 3 sets a 2, neste sábado, foi uma  da persistência. "Nós sabíamos que seria um  longo, e que precisaríamos ter muita paciência. Em alguns momentos, iríamos jogar  com a emoção, e em outros, também com a razão. E a  teve maturidade e competência para administrar esses momentos", elogiou o técnico Talmo de Oliveira, que chega à sua segunda decisão de Superliga. Na temporada 2009/2010, ele disputou o título da competiçãomasculina, com Montes Claros, mas perdeu para a Cimed.
Mas a paciência do Sesi vem de longa data. O time precisou de muita dedicação e união para superar um início de Superliga muito ruim. No primeiro turno, disputado no ano passado, foram oito derrotas em 13 . Houve rodadas em que a equipe nem sequer aparecia entre as oitomelhores do torneio. Na ocasião, Talmo decidiu priorizar o Paulista (em que chegaram à final pela primeira vez, mas perderam para Osasco). O técnico foi criticado, teve de ouvir que seu emprego estava ameaçado, mas mostrou reação em 2014. Embalou no torneio - classificou em quarto para os playoffs - e ainda conquistou o inédito título sul-americano diante das mesmas rivais que eliminaram neste sábado.
"Sempre falo que essa equipe está de parabéns pelo trabalho. Muita gente não acreditava que pudéssemos estar aqui", disse a central Fabiana, capitã da equipe, e maior pontuadora do jogo, com 16 acertos. "Nós sempre acreditamos, porque estava sendo feito um trabalho honesto. Essa vitória é um grande presente para equipe."

Talmo disse que a chave para a reinvenção do Sesi dentro do jogo, após um terceiro set muito ruim, foi a motivação. "Aqui não trabalhamos desmotivados nunca. O set poderia estar 19 a 1, que iríamos atrás da próxima bola. Que lutaríamos até o final, isso era ponto pacífico", argumentou. "Em alguns momentos do jogo sentimos muita dificuldade, e eu puxei a responsabilidade. Falei para elas pensarem no próximo ponto, para deixar o jogo acontecer. E a Ivna, a Suelen, a Dayse (que tiveram dificuldades até a metade da partida) foram voltando." Fabiana ressaltou a tranquilidade das jogadoras. "Tivemos cabeça nos momentos difíceis. Acreditamos o tempo inteiro."

"Ninghem acrediitava na gente" desabafa Bernardinho

Pela décima vez consecutiva, o Unilever Vôlei/Rio de Janeiro se garantiu na decisão da Superliga Feminina. A  carioca venceu o Vôlei Amil/Campinas na fase realizada no último fim de semana e apenas aguarda o adversário para a grande final da temporada 2013/2014. Experiente e acostumado à partidas decisivas, o técnico do Rio, Bernardinho, fez um desabafo.
Treino do Unilever Vôlei/Rio de Janeiro. Foto: Fernando Maia/MPIX
"Ninguém acreditava na gente. Esse ano falaram bastante que a final seria diferente, mais com relação ao nosso time. Até porque Osasco estava invicto. Mas conseguimos nosso objetivo que era estar na final", afirmou. Apesar do Rio de Janeiro estar garantido na decisão, o local em que será disputado o  ainda não está definido. Segundo a Confedereção Brasileira de Vôlei (CBV), caso o Sesi seja finalista, o confronto está marcado para a Cidade  Maravilhosa, mas se o vencedor for o Molico/Nestlé/Osasco, o duelo acontecerá em São Bernardo, São Paulo.
Alheio à ausência de informação, Bernardinho apontou a preferência do time. "É  que gostaríamos que a final fosse realizada no Rio de Janeiro. Estaríamos diante da nossa torcida e fecharíamos com chave de ouro uma campanha muito difícil. Além disso, seria um grande presente para nossos fãs. Mas a essa altura não dá para ficar pensando nisso, não dá para ficar escolhendo", contou.
Semana de recuperação e treino
Bernardinho, técnico do Unilever Vôlei/Rio de Janeiro. Foto: Fernando Maia/MPIXCom a classificação confirmada na segunda partida da semifinal, o Rio de Janeiro se deu ao luxo de aguardar o rival para a decisão, uma vez que o confronto entre Sesi e Osasco está empatado, forçando um jogo desempate. Sendo assim, o time liderado pela levantadora Fofão teve uma semana sem atuar. No entanto, engana-se quem pensa que não há esforço suficiente. Bernardinho ressaltou 'trabalho' como a  de ordem para esse período.
"Antes de tudo é importante recuperarmos nossas jogadoras. Precisamos tê-las íntegras para o treinamento. Neste primeiro momento, estamos olhando muito mais para nós mesmos. É bom ter esse tempo para corrigir nossas falhas e dar consistência ao que deu certo", declarou. Ele também adiantou que o treinamento é realizado em cima das áreas mais fortes de ambos possíveis adversários.
"As duas equipes possuem algumas características semelhantes e começamos a trabalhar em cima disso. Por exemplo, tanto um quanto outro tem jogadas fortes pelo meio, com Fabiana e Bia e Thaisa e Adenízia. Precisamos evitar que esse ponto forte dos nossos adversários seja um ponto negativo para nós", disse. A final da Superliga Feminina 2013/2014 está marcada para às 10h do dia 27 de abril, domingo, em local a ser escolhido.
Redação SRZD

19 de abr de 2014

Sesi vai à final e quebra hegemonia histórica na Superliga


Depois de vencer fora de casa, o Sesi-SP contou com a força da torcida para novamente bater o Osasco e chegar à final da Superliga Feminina de Vôlei pela primeira vez. Neste sábado, no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo, a equipe da capital venceu as líderes da primeira fase, por 3 a 2, com parciais de 19/21, 21/16, 8/21, 22/20 e 17/15.

Com o resultado, o Sesi fez 2 a 0 na série melhor de três e se classificou sem a necessidade do terceiro confronto, que seria realizado na próxima terça-feira, no ginásio José Liberatti, em Osasco. Na decisão, o time paulistano enfrentará o Unilever/Rio de Janeiro.

O triunfo, além de levar a equipe à final pela primeira vez, também quebrou uma série de 12 decisões consecutivas do Osasco, que não sabe o que é não chegar à disputa pelo título desde a temporada 2000/2001, quando os finalistas foram Flamengo e Vasco. De quebra, acabou com uma hegemonia de finais entre Osasco e Rio de Janeiro na Superliga, que já durava desde a temporada 2004/05.

Líder da equipe durante toda a competição, a capitã Fabiana anotou 16 pontos, sendo oito de ataque, seis de bloqueio e dois se saque, e foi quem mais pontuou pelo Sesi-SP, seguida por Ivna, que fez 14. Enquanto isso, do outro lado do confronto, a maior pontuadora do Molico/Nestlé e do jogo foi a também capitã Sheilla, que marcou 25 pontos (22 de ataque e três de bloqueio). Outro destaque da partida foi a italiana Caterina, que marcou 16 vezes.

Surpreendida em casa no primeiro jogo da semifinal, o Osasco não se incomodou com a pressão da torcida adversária e começou levando a melhor após um set muito equilibrado. No entanto, a equipe da capitã Sheilla não conseguiu manter o ritmo na segunda parcial e cedeu o empate.

Com o duelo empatado, era esperado mais um set equilibrado, porém o que aconteceu foi completamente diferente. Sobrando em quadra, o Molico/Nestlé não deu chances às adversárias e abriu 2 a 1 ao vencer por 21 a 8. Podendo fechar o jogo sem levar ao tie-break, o time com melhor campanha da primeira fase continuou melhor durante grande parte da parcial, porém sofreu a virada no final e novamente viu as donas da casa empatarem.

Na decisão, o Sesi, assim como em grande parte do confronto, ficou atrás das adversárias, porém mostrou uma reação incrível, impediu match-points e novamente virou para conseguir a classificação histórica.

13 de abr de 2014

Unilever bate o Vôlei Amil e está na final da Superliga


Bernardinho levou a melhor no duelo de técnicos da seleção brasileira contra o desafeto José Roberto Guimarães. Em uma partida nervosa e de extrema rivalidade, o Unilever chegou a sua 10ª final consecutiva de Superliga feminina ao vencer o Vôlei Amil por por 3 sets a 2 (12-21, 21-15, 21-15, 18-21 e 16-14).
Os nervos à flor da pele dentro de quadra contagiaram até mesmo o 'zen' Zé Roberto, que se despediu da equipe de Campinas para se dedicar exclusivamente à seleção brasileira feminina. O treinador, que mostrou tranquilidade na maior parte da partida, não resistiu aos erros de sua equipe no terceiro set e xingou a levantadora Claudinha. A transmissão da TV Globo estava mostrando um dos tempos pedidos por Zé Roberto quando o treinador disparou contra a jogadora. "Larga de ser burra!", esbravejou.
A partida começou melhor para o time de Campinas, que ficou na frente no placar a maior parte do tempo, abrindo entre de três a quatro pontos de vantagem, enquanto o Unilever buscava não permitir um distanciamento maior das adversárias.

O técnico Bernardinho buscou parar o jogo com um pedido de tempo, mas o time de José Roberto Guimarães demonstrava domínio total perto da metade do set. O Amil conseguia encaixar bem o ataque, enquanto o Unilever pouco esboçava reação. O bloqueio do time campineiro funcionava muito bem, algo que fez o primeiro set ser marcado por ralis.

O domínio do Amil no primeiro set foi confirmado com o placar de 21 a 12, surpreendente para uma semifinal considerada tão equilibrada. A vitória na parcial colocava o time de Campinas definitivamente na briga, já que entrava no Maracanãzinho com a obrigação de vencer para forçar um terceiro jogo na disputa da vaga na final.

O Unilever voltou melhor e a partida ficou mais equilibrada no início do segundo set, mas ainda marcada por erros de saque da equipe carioca. O ataque do time de Bernardinho começou a funcionar melhor e permitiu a dianteira no placar no primeiro tempo técnico.

A ponteira Mihajlovic, que não estava bem no começo do jogo, melhorou seu rendimento e conseguiu uma boa sequência no saque, fazendo com que o time do Rio abrisse seis pontos de vantagem na metade do set.

A reação carioca ficava evidente com os pontos de saque, que dificultavam cada vez mais a recepção do time de Campinas. O domínio do Amil no primeiro set foi praticamente reproduzido pela equipe de Bernardinho, que conseguiu disparar no placar na reta final.

Mas se o Unilever não conseguiu reagir quando dominado no primeiro set, o Amil levou um pouco mais de susto ao time de Bernardinho, que teve que parar o jogo após uma sequência de erros da equipe carioca. A pausa surtiu efeito e o Unilever conseguiu um set point com cinco pontos de vantagem no placar, empatando a partida logo na sequência com a vitória por 21 a 15.

O terceiro set foi praticamente uma reprodução do segundo, com o Unilever jogando muito melhor. O Amil praticamente não conseguia reagir para encostar no placar.

Foi nesse cenário que o técnico Zé Roberto acabou saindo do sério e disparando a bronca contra Claudinha, destoando de momentos de mais calma em outros pedidos de tempo. A bronca não surtiu efeito no time de Campinas, que acabou derrotado no terceiro set pelo mesmo placar da parcial anterior: 21 a 15.

O quarto set foi mais equilibrado, com o time do Vôlei Amil melhor no jogo. O Unilever seguia liderando o placar, mas seguido muito mais de perto pela equipe campineira. Após muitas dificuldades, o time de Campinas finalmente conseguiu empatar o marcador em 16 a 16, colocando emoção na reta final da parcial.

Com uma ótima recuperação, Tandara passou a aparecer mais decisiva e colocou o Amil na frente com 17 a 18, mas o Unilever empatou na sequência. O time de Campinas continou buscando a vitória e conseguiu fechar o set em 21 a 18 após um erro de ataque de Mihajlovic.

O tie-break foi ainda mais equilibrado, com o placar alternando no ponto a ponto. O Unilever só conseguiu abrir dois pontos de vantagem no sexto ponto após dois erros de Natália, do Amil. O time de Zé Roberto correu atrás e conseguiu virar, assumindo a liderança do set-desempate.

A equipe carioca não relaxou mesmo após ficar dois pontos atrás e também empatou, dando mais emoção ainda ao jogo. Na reta final, o Unilever foi decisivo mais uma vez, empurrado pelos gritos de Bernardinho do lado da quadra, e abriu boa vantagem de quatro pontos. O time de Campinas reagiu de novo e encostou no placar, forçando mais um pedido de tempo de Bernardinho. A reação do Amil prevaleceu e o time de Zé Roberto conseguiu salvar quatro match points, mas não impediu a vitória carioca.

Bruno Voloch-Uol Esportes
http://esporte.uol.com.br/volei/ultimas-noticias/2014/04/12/ze-roberto-perde-a-linha-e-xinga-jogadora-em-eliminacao-para-bernardinho.htm

8 de abr de 2014

Unilever faz 3 a 0 no Vôlei Amil e leva vantagem para o Rio


Foi um duelo equilibrado no número de pontos, diferente do que o resultado final pode apontar, mas ainda assim acabou sendo inesperado. O Unilever visitou o Vôlei Amil e venceu por 3 sets a 0, com parciais de 25/23, 30/28 e 21/13.
Mihajlovic foi o grande destaque da partida, anotando 21 pontos, sendo 19 de ataque. Natália se destacou com 14 pontos do lado do Vôlei Amil.
Com o resultado, a equipe carioca precisa de mais um triunfo no Rio de Janeiro, no jogo de volta, para garantir o seu lugar na decisão.
No primeiro set, muito equilibrado, o Unilever contou com atuação acima da média da sérvia Mihajlovic, que anotou sete pontos na parcial. Assim, a equipe carioca venceu por 25 a 23.
O roteiro foi praticamente repetido no segundo set, mas um pouco mais longo. Novamente o ponto de desequilíbrio foi Mihajlovic, que anotou 10 pontos na parcial e liderou sua equipe a novo triunfo: 30 a 28
O terceiro set teve uma história totalmente diferente. O início até foi equilibrado, mas o Unilever disparou no placar a partir do primeiro intervalo e chegou a abrir sete pontos (17 a 10), fechando a parcial em um tranquilo 21/13.
O segundo jogo da série melhor de 3 será realizado no Rio de Janeiro, no próximo sábado, a partir das 10h05 (de Brasília).

7 de abr de 2014

SUPERLIGA FEMININA 13/14: Equipes já conhecem a tabela da semifinal

Foto da not?cia
Com o fim da fase de quartas de final, na noite de sexta-feira (04.04), as quatro equipes semifinalistas já conhecem a tabela da próxima fase da Superliga feminina de vôlei 13/14. O primeiro jogo da nova etapa será já nesta terça-feira (08.04), entre Vôlei Amil (SP) e Unilever (RJ). Depois, na sexta (11.04), terá início a série entre Molico/Nestlé (SP) e Sesi-SP.
Os times campineiro e carioca abrirão a semifinal da Superliga 13/14 às 21h30, na Arena Amil, em Campinas (SP), com transmissão ao vivo do canal SporTV. O Vôlei Amil passou pelo São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP) nas quartas de final, enquanto a Unilever eliminou o Pinheiros (SP) na fase passada.
O primeiro confronto entre Molico, líder da fase classificatória, e Sesi-SP, vai ser na sexta, também às 21h, no ginásio José Liberatti, em Osasco (SP), com transmissão do SporTV. O Molico/Nestlé venceu o Brasília Vôlei (DF)nas quartas, e o Sesi-SP precisou de três jogos para passar pelo Banana Boat/Praia Clube (MG).
Confira abaixo a tabela completa:
PRIMEIRA RODADA
08.04 (TERÇA-FEIRA) – Vôlei Amil (SP) x Unilever (RJ)LOCAL/HORÁRIO: Arena Amil, em Campinas (SP), às 21h30
TRANSMISSÃO: SporTV
11.04 (SEXTA-FEIRA) – Molico/Nestlé (SP) x Sesi-SPLOCAL/HORÁRIO: José Liberatti, em Osasco (SP), às 21h30
TRANSMISSÃO: SporTV
SEGUNDA RODADA
12.04 (SÁBADO) – Unilever (RJ) x Vôlei Amil (SP)LOCAL/HORÁRIO: Maracanãzinho, no Rio de Janeiro (RJ), às 10h
TRANSMISSÃO: TV Globo
19.04 (SÁBADO) – Sesi-SP x Molico/Nestlé (SP)LOCAL/HORÁRIO: Vila Leopoldina, em São Paulo (SP), às 10h
TRANSMISSÃO: TV Globo
TERCEIRA RODADA (SE NECESSÁRIO)
18.04 (SEXTA-FEIRA) – Vôlei Amil (SP) x Unilever (RJ)LOCAL/HORÁRIO: Arena Amil, em Campinas (SP), às 21h30
TRANSMISSÃO: SporTV
22.04 (TERÇA-FEIRA) – Molico/Nestlé (SP) x Sesi-SPLOCAL/HORÁRIO: José Liberatti, em Osasco (SP), às 21h30
TRANSMISSÃO: SporTV