30 de jun de 2013

Irregularidade da Seleção na Liga Mundial preocupa capitão Bruninho

A irregularidade exibida pela Seleção Brasileira nos dois jogos contra a França preocupa o capitão Bruninho para a sequência da Liga Mundial. Por outro lado, o levantador lembra que alguns momentos de instabilidade são inevitáveis em times renovados.
"Nos faltou muita coisa", disse o atleta após perder para a França neste sábado, em São Paulo. "Pecamos pela falta de continuidade. Estamos ganhando por 10/8 e de repente tomamos um 10/13. É algo que tem acontecido. Nosso time ainda está sendo construído e precisamos trabalhar nisso", disse o capitão, pedindo mais vibração.

"Precisamos aprender com a vontade deles de defender o tempo todo. Para avançar, é necessário mais sangue nos olhos, temos que querer ainda mais. Com um time novo, só querendo e trabalhando muito para conseguir. Não temos moral nem entrosamento para vencer apenas na camisa ou com a torcida", assumiu.

No primeiro jogo contra a França, disputado na sexta-feira, a Seleção chegou a ganhar os dois sets iniciais, mas precisou do tie-break para confirmar a vitória. Neste sábado, ainda que tenha perdido, foi superior em alguns momentos, principalmente no começo das parciais.

"Esses altos e baixos são consequência do nosso pouco tempo de trabalho. É um grupo novo que está se formando. Treinamos juntos duas semanas e já fomos direto para o campeonato. Com o passar do tempo, a tendência é melhorar a regularidade e a confiança", analisou Lucão.

Exigente, o técnico Bernardinho viveu momentos de desespero na beira da quadra ao ver sua equipe cometer uma série de erros diante dos franceses, principalmente no último quarto. Com um elenco renovado, ele se esforça para evitar uma cobrança exagerada.

"Não podemos colocar muita pressão e fazer comparações excessivas. Precisamos de lucidez nesse aspecto. Caso contrário, acabamos não permitindo que os jogadores criem a segurança necessária para contribuir dentro da quadra", declarou o experiente treinador.

Depois de sofrer sua primeira derrota na Liga Mundial, a Seleção Brasileira, integrante do Grupo A da competição, tem a chance de tentar a reabilitação diante de sua torcida. Os próximos confrontos do time nacional serão realizados em Brasília, contra a Bulgária, nos dias 5 e 6 de julho.

Cuba vence Rússia, mas segue em último na Liga Mundial

A seleção de Cuba de vôlei venceu neste sábado a Rússia por 3 sets a 1 , com parciais de 25/23, 20/25, 25/20 e 25/22 na segunda partida entre as equipes pela Liga Mundial de vôlei, disputada no Coliseu da Cidade Esportiva de Havana.

A Rússia se mantém como líder do Grupo B, seguida por Itália, Alemanha, Sérvia, Irã e Cuba.

Na próxima semana Cuba receberá também como anfitriã a equipe do Irã para disputar duas partidas na capital cubana.

Bulgária vence EUA e tira Brasil da liderança na Liga Mundial

Após a Seleção Brasileira masculina de vôlei perder a invencibilidade na Liga Mundial para a França, na manhã o último sábado, ela perdeu também a ponta do Grupo A da competição. A Bulgária venceu a seleção dos Estados Unidos, por 3 sets a 1, neste domingo e assumiu a liderança.
A seleção búlgara e a americana estavam empatadas com 11 pontos. Caso uma delas vencesse por 3 a 0, ou 3 a 1, ultrapassava a equipe brasileira.
Ainda faltam quatro jogos para o Brasil nesta primeira fase da Liga Mundial. Os rivais serão justamente os Estados Unidos e a Bulgária. Os dois primeiros colocados de cada grupo se classificam para a fase final, que será disputada na Argentina.
O próximo adversário do Brasil será a Bulgária. As partidas serão realizadas no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília (DF), na sexta-feira e no sábado.

29 de jun de 2013

Bernardinho assume responsabilidade por derrota para França

O técnico da Seleção Brasileira masculina de vôlei, Bernardinho, assumiu a responsabilidade pelo revés sofrido para a França na manhã deste sábado no Ibirapuera, em São Paulo. A derrota por 3 a 1 pôs fim a uma invencibilidade de cinco jogos do time nacional na edição de 2013 da Liga Mundial.
"Há de se enaltecer o time da França. Não consegui colocar meu plano de jogo em ação. A responsabilidade é minha. Minha gestão da equipe não foi boa", disse o treinador.
Para Bernardinho, a Seleção precisa saber lidar melhor com a pressão de jogar em casa. Na sexta-feira, quase havia cedido a virada após estar vencendo por 2 sets a 0. No fim, triunfou por 3 a 2.
"Neste novo ciclo (olímpico) temos de aprender com o fato de lidar em casa, de estar perto do torcedor. Não podemos perder o foco na missão que temos em mãos", disse.
Na semana que vem, o Brasil enfrentará a Bulgária, em Brasília. Depois, no fim de semana seguinte enfrentará os Estados Unidos no Rio de Janeiro. Os quatro últimos jogos da etapa de classificação serão decisivos para a classificação à fase final da Liga Mundial.

28 de jun de 2013

Jogando em casa Brasil vence a França por 3x2

Em sua primeira partida em casa na Liga Mundial 2013, o Brasil parecia que venceria sem sustos, mas tomou enorme sufoco dos rivais, porém, não decepcionou a torcida presente no ginásio Ibirapuera, em São Paulo, na manhã desta sexta-feira, e derrotou a França por 3 sets a 2, com parciais de 25-20, 25-19, 22-25, 21-25 e 15-12. A equipe de Bernardinho alcançou sua quinta vitória no grupo A e segue invicta na competição.

Após início equilibrado de jogo, os franceses tomaram a ponta no placar, mas o Brasil logo igualou o marcador, com potentes ataques pela ponta. Apenas no final do set o time mandante conseguiu abrir boa vantagem sobre os europeus para fechar o período em 25 a 20, em 26 minutos.

Novamente o início de set foi parelho, sempre com o Brasil com pouca vantagem no marcador. Mas a França reagiu, tirou uma desvantagem de dois pontos e ainda virou o placar para 10 a 8. Com erro adversário e bloqueio de Lucão, a seleção brasileira retomou novamente a liderança no placar, com 16 a 15.

O bloqueio brasileiro encaixou e, com dois seguidos de Lucarelli, a equipe ampliou ainda mais a vantagem sobre os franceses. E foi com novo ponto de bloqueio, agora de Leandro Vissotto, que a equipe da casa fechou o 2º set em 25 a 19, agora em 28 minutos.

Os franceses voltaram dispostos a não entregar barata a derrota e complicaram o jogo para o Brasil no 3º set. As duas equipes se revezavam na liderança do placar, mas no final do período a equipe visitante passou à frente. Sem mais largar a vantagem, a França fechou o set em 25 a 22.

A equipe europeia se animou com a reação e continuou seu forte ritmo de jogo, deixando o Brasil perdido na partida. A seleção nacional se achou e o jogo voltou a ficar equilibrado. Mas o ímpeto francês não diminuiu e a equipe empatou o duelo em 2 a 2, com 25 a 21 no 4º set.

No tie-break a França seguiu bem, aproveitando erros bobos dos brasileiros. Quando o Brasil esboçava alguma reação, voltava a tropeçar em suas próprias falhas.

Quando o time brasileiro perdia por 12 a 9, Bernardinho pediu tempo e depois fez uma inversão 5-1, com as entradas de William e Wallace. O levantador acertou todos os saques (quatro), e o oposto colocou três bolas no chão, selando a virada e a vitória da seleção nacional por 3 a 2.

27 de jun de 2013

Bernardinho exalta nova geração da seleção masculina

A medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Londres, no ano passado, marcou o adeus de grandes jogadores à seleção masculina e a ascensão de uma nova geração. O processo de renovação da equipe começou na Liga Mundial deste ano e já vem correspondendo, segundo avalia o técnico Bernardinho. Um importante passo neste processo será dado neste fim de semana, quando a equipe disputará a primeira etapa do torneio em casa, contra a França, na SEXTA (28.06) e no SÁBADO (29.06), no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo (SP).
Até agora na Liga, a seleção soma quatro vitórias em quatro jogos e é líder do Grupo A, com 11 pontos, ao lado da Bulgária. Na primeira rodada, bateu a Polônia, na casa do adversário, por 3 a 1 e 3 a 2. No fim de semana seguinte, foi à Argentina e também conseguiu dois resultados positivos, desta vez por 3 sets a 0.
"Embora tenhamos cometido um excesso de erros no segundo jogo contra a Polônia, a nossa equipe vem trabalhando bem o saque e tem uma condição de bloqueio interessante. A inserção de alguns jogadores que já vínhamos investindo, como o Lucarelli, é um ponto positivo. Ele hoje é uma realidade. O Lipe entrou muito bem no segundo jogo contra a Argentina. O Dante tem sido muito importante na função de mais experiente do grupo. Temos jogadores substituindo ícones do vôlei mundial e todos estão cumprindo bem os seus papeis", destacou Bernardinho.
O capitão Bruno também garante que o novo momento da seleção brasileira é positivo. Os dois jogos deste fim de semana, quando a equipe fará a primeira partida no país com os novos nomes do vôlei, será uma boa oportunidade para que o torcedor comprove o que vem sendo dito pelos atletas.
"Essa mescla na equipe de jogadores experientes com muitas caras novas está dando resultado. Esse grupo trabalha com muita vontade e entrega e todos sentirão isso. Tivemos um excelente exemplo de uma geração vitoriosa com o Giba e o Serginho e precisamos aproveitar tudo de bom que eles nos deixaram", comentou Bruno.
Dante reforçou o discurso do capitão da equipe.
"Ainda estamos cometendo pequenos erros que podem atrapalhar. Mas já temos algum entrosamento, aquela coisa de olhar para o lado e já saber o que o outro está pensando - o que acontecia nas gerações passadas. Eles estão começando a identificar esta parte. Nós estamos bem. Agora vamos esquecer as semanas passadas e nos concentrar nos dois jogos contra a França."
Apesar do sucesso das duas primeiras rodadas da Liga, Bernardinho quer mais e espera um crescimento da equipe neste final de semana. E o treinador espera uma evolução porque confia no atual grupo do Brasil.
"Os resultados foram bons, mas esperamos sempre o melhor, no sentido de fazer o nosso melhor. O sistema como um todo ainda pode melhorar, assim como a sintonia final da equipe. Ainda há muito o que ser feito, mas os resultados devem ser valorizados porque a nossa chave é muito equilibrada. A França, embora venha como franco atirador, venceu a Polônia, atual campeã da Liga Mundial, nos dois últimos jogos. Claro que eles querem sempre ganhar do Brasil e isso é um perigo", analisou Bernardinho.
Volei na Rede

Lucarelli uma renovação que está dando certo

O técnico Bernardinho costuma dizer que atualmente há dificuldade para se formar bons ponteiros no Brasil.
Ricardo Lucarelli, 19, tem se mostrado uma boa opção para a posição. Tanto que, devido a uma lesão de Giba, o atleta foi convocado para os amistosos preparatórios para o Sul-Americano de 2011. Pouco antes, Lucarelli havia disputado o Mundial juvenil e se consagrado como o terceiro maior pontuador.
"Ele foi, sem dúvida, um dos destaques da seleção juvenil e é um potencial. O Lucarelli está em observação e pode vir a integrar a seleção de novos, por exemplo", afirmou Bernardinho na época.
Fez sua estreia no Maracanãzinho, na vitória do Brasil contra o Japão. Meses depois, acabou sendo convocado novamente, dessa vez para disputar o Pan de Guadalajara, em que a seleção foi representada por uma equipe mista.
Mas uma lesão na virilha direita o tirou da competição --o Brasil foi campeão.
"Fiquei um pouco triste. O Pan seria minha primeira grande competição com a seleção adulta. Agora, tenho que olhar para a frente, jogar bem na Superliga e, quem sabe, voltar a ser convocado", afirmou, pouco antes do início do torneio nacional.
Apesar da pouca idade, Lucarelli, que defende o Minas, já figura entre os melhores da competição. Tem o melhor aproveitamento no ataque da Superliga (44,93%) e, até a décima rodada do primeiro turno, era o nono maior pontuador, com 139 pontos.
O pequeno período em que ficou na seleção o lapidou.
"A seleção é muito diferente. Você amadurece e entende como é um esporte de alto nível", declara o ponteiro.
"Os jogadores estão sempre lutando o máximo. Isso é uma coisa que diferencia a seleção brasileira: a busca pela perfeição", afirma o atleta, que começou no esporte aos 14 anos, em um pequeno clube de Linhares (MG), para seguir os passos da irmã mais velha, Rafaelli, que já se aventurava nas quadras.
Há quatro anos, enquanto o Brasil perdia a final para os EUA nos Jogos de Pequim, Lucarelli nem imaginava que seguiria carreira na modalidade. "Para mim, era só uma brincadeira. Nunca pensei em um dia jogar profissionalmente e chegar à seleção", afirmou.
Raio X
Nome: Ricardo Lucarelli Santos de Souza
Nascimento: 14.fev.1992, em Contagem (MG)
Onde mora: Belo Horizonte (MG)
Peso e altura: 90 kg e 1,97 m
Clube: Minas Tênis
Escolaridade: Terceiro ano do ensino médio
Twitter: @lucarelli8
Facebook: Lucarelli
Site oficial: Não tem
Ídolos: Os jogadores de vôlei Murilo e Escadinha
Superstição: Faz sinal da cruz e entra com pé esquerdo em quadra
Hobby: Acessar o computador, ir ao shopping e alugar filmes
Música: Pagode, sertanejo, música eletrônica e pop americano
Comida: Pizza
Seu maior momento no esporte: Jogo do Minas contra o Campinas, na Superliga 2010/2011. "Eu era o reserva, mas tinha entrado em quadra para ajudar a equipe no segundo set. A gente estava perdendo o set quando eu fui para o saque. Eu pedi ao técnico para não sair. Ele deixou. Eu saquei muito bem e depois a gente ganhou o set e o jogo. Depois desse jogo, a gente passou a ir bem na Superliga."
O maior momento do esporte: Conquista do ouro da seleção na Olimpíada de Atenas-2004
Patrocinadores: Não tem
Principais feitos: Prêmio de melhor recepção no Mundial infanto-juvenil de 2009, convocado pela primeira vez para a seleção
principal em 2011
Mariana Bastos

14 de jun de 2013

Liga Mundial:. Brasil vence Argentina rapidamente e cala torcida em Mendoza


Mesmo na casa do adversário, o Brasil não deu qualquer chance para a Argentina. Em processo de renovação do elenco, o time de Bernardinho venceu rapidamente (em cerca de 1h20min) em Mendoza, por 3 sets a 0, sem se importar com a pressão da torcida local. Foi a terceira vitória em três jogos da equipe brasileira, que lidera o Grupo A da Liga Mundial
O primeiro set aparentou começar com alguma dificuldade para o Brasil. A Argentina inclusive abriu 8 a 6 na primeira parada da partida. Mas rapidamente os brasileiros conseguiram a virada, com destaque para o meio de rede Eder. O set foi vencido por 25 a 20 para os visitantes.
O ritmo do Brasil foi mantido para o início do segundo set e por isso a equipe abriu uma vantagem confortável rapidamente. Houve alguma instabilidade do time, mas Bernardinho pediu tempo, corrigiu os problemas e conseguiu a vitória por 25 a 21, com a mesma tranquilidade.
No terceiro set a torcida argentina já estava desanimada, mas mesmo assim tentou vaiar os brasileiros. Porém, até mesmo jovens inexperientes, como Isac e Lucarelli, tiveram bom desempenho, inclusive nos saques, e ajudaram o Brasil a liderar mais uma parcial sem problemas. A vantagem chegou a ser de onze pontos, o set foi vencido por 25 a 15 e a vitória foi assegurada.

11 de jun de 2013

TORNEIO DE ALASSIO: Brasil vence Itália e garante segundo título do ano

A seleção brasileira feminina de vôlei conquistou, neste DOMINGO (09.06), o título do Torneio de Alassio, na Itália. As brasileiras venceram na decisão as donas da casa por 3 sets a 0 (25/18, 25/17, 25/10). O Brasil foi campeão invicto. Foram três jogos, três vitórias e apenas um set perdido. Este foi o segundo título das atuais campeãs olímpicas, que foram campeãs do Montreux Volley Masters, no início desse mês, no ano. O time verde e amarelo está invicto na temporada 2013.
A oposto Monique, que marcou oito pontos (sete de ataque e um de bloqueio), foi eleita a melhor jogadora da partida.
O JOGO
O jogo começou equilibrado. O Brasil tinha um ponto de vantagem na primeira parada técnica (8/7). Com um bom saque e bem nos contra-ataques, a Itália abriu quatro pontos (14/10). As brasileiras encostaram com um bom volume de jogo (14/13). Bem no bloqueio, as atuais campeãs olímpicas abriram dois (19/17). E foi com um bloqueio da central Juciely que o Brasil venceu o primeiro set por 25/18.


Com um ace da ponteira Pri Daroit, o Brasil fez 4/3 no início do segundo set. Se aproveitando dos erros da Itália, o Brasil foi para o segundo tempo técnico com cinco de vantagem (16/11). As brasileiras seguraram a vantagem e venceram o segundo set por 25/17.
O início do segundo set foi marcado pelo equilíbrio. Com um bloqueio da ponteira Fernanda Garay, o Brasil abriu três (11/8). A Itália continuava a cometer muitos erros e as brasileiras fizeram 15/10. Depois de uma grande sequência de saques da central Adenízia, o Brasil fechou o set por 25/10 e o jogo por 3 sets a 0.
O Brasil jogou com Dani Lins, Monique, Fernanda Garay, Priscila Daroit, Adenízia e Juciely. Líbero – Camila Brait. Entraram: Fabíola, Suelen e Tandara
JOGOS DO BRASIL
07.06.2013 – BRASIL 3 X 0 TURQUIA (25/15, 25/21 e 25/14) ESPN
08.06.2013 – BRASIL 3 X 1 JAPÃO (23/25, 25/20, 25/17 e 25/18)
09.06.2013 – BRASIL 3 X 0 ITÁLIA (25/18, 25/17 e 25/10)

8 de jun de 2013

Brasil renovado vence a Polônia na estréia da Liga Mundial de Volei

A Seleção Brasileira masculina de vôlei, renovada para o novo ciclo olímpico, venceu nesta sexta-feira sua primeira partida oficial. O time comandado por Bernardinho estreou na Liga Mundial com uma vitória sobre a Polônia, na casa dos adversários, por 3 sets a 1, com parciais de 25/22, 25/20 e 22/25 e 25/15. O jogo, válido pela primeira rodada do Grupo A, foi realizado em Varsóvia e durou exatas duas horas.

O Brasil, que teve as aposentadorias de Giba, Ricardinho, Rodrigão e Serginho depois da medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Londres, no ano passado, realizou nesta sexta a primeira partida oficial com a nova formação. Nos últimos dias, o time de Bernardinho havia disputado dois amistosos contra a Rússia.
Atuando com o levantador Bruninho, o oposto Vissotto, os centrais Lucão e Éder , os pontas Dante e Lucarelli e o líbero Mário Jr. na formação titular, o Brasil oscilou no começo do jogo em Varsóvia nesta sexta, abrindo 6/2 no primeiro set e sofrendo a virada logo depois. A Seleção só recuperou a frente no marcador na parte final da etapa, quando soube sustentar a vantagem até fechar em 25/22.

Pelo Grupo do Brasil, Bulgária e Argentina também vencem na estreia

Além da Seleção Brasileira Masculina, outras duas equipes também começaram bem no Grupo A da Liga Mundial de Vôlei. Em duas partidas bem equilibradas, Bulgária e Argentina venceram nesta sexta-feira, e, assim como o Brasil, também jogaram na casa do adversário.

Na França, a Bulgária teve muitas dificuldades diante dos anfitriões e precisaram do tie-break para conquistar a primeira vitória na competição mundial, por 3 sets a 2, com parciais de 21/25, 25/14, 25/21, 22/25 e 11/15.

A Argentina por sua vez enfrentou os Estados Unidos, atuais vice-campeões da Liga Mundial, e também não teve vida fácil. Fora de casa, a equipe sul-americana venceu por 3 sets a 1, com parciais de 25/18, 25/21, 22/25 e 26/24.

Já no Grupo B, os confrontos foram menos equilibrados. A Rússia fez a lição de casa e derrotou o Irã, por 3 sets a 0, o mesmo placar feito pela Itália contra a Alemanha. Cuba, por sua vez, decepcionou e acabou perdendo para a Sérvia, em casa, por 3 sets a 1.

3 de jun de 2013

Vôlei Amil anuncia a contratação de Natália para a próxima temporada



Terceiro colocado na última edição da Superliga Feminina, o Vôlei Amil segue de olho na primeira conquista nacional. E para atingir tal objetivo, a equipe anunciou seu principal reforço para a próxima temporada: a ponteira Natália. Aos 24 anos, a jogadora foi um dos destaques da Unilever na decisão diante do Sollys/Nestlé, em abril.

- Minha principal característica é a força. Sou lembrada normalmente pelo ataque. Tenho muito o que evoluir ainda, mas acredito que estou no caminho certo e a equipe do Vôlei Amil vai ajudar muito a chegar ao meu ideal, assim como espero ajudar o time a lutar por títulos - afirmou a atleta.

Após trabalhar por duas temporadas na Unilever sob o comando do técnico da Seleção masculina Bernardinho, agora a jogadora vai ter como treinador José Roberto Guimarães, da Seleção feminina. E isso foi um dos fatores que influenciaram na decisão.

- Já trabalhei muitos anos com o Zé na Seleção e ele sempre brincou que queria que eu jogasse no time dele. Tenho certeza que temos muito o que evoluir juntos ainda. Espero que seja uma temporada boa e de muitas vitórias - avaliou Natália.

Até o momento, além da ponteira, o Vôlei Amil já tem garantidas no elenco para a próxima temporada: as centrais Walewska, Angélica e Carol Gattaz, as levantadoras Claudinha, Pri Heldes e Rosane e as ponteiras/opostas Rosamaria e Ju Nogueira. A direção da equipe ainda pretende anunciar mais reforços nas próximas semanas.

Check out um video que eu fiz em homenagem a Natalia
At just 21 years and a fantastic jumping and strength in the attacks NatiZilo Pereira "BigBaby" has been saying one of the greatest strikers in the world of international volleyball.

2 de jun de 2013

Alison e Emanuel sáo campeões sobre os líderes do ranking mundial

A conquista alcançada em Campinas é a primeira da dupla em 2013.

Como Alison lesionou o dedo da mão esquerda, a parceria apenas disputou cinco torneios nesta temporada

Três etapas do Circuito Brasileiro e do Circuito Mundial além da World Cup Final.

Invicto e sem perder um set Brasil conquista a Montreux Volley Masters, na Suíça

A Seleção Brasileira feminina de vôlei começou o novo ciclo olímpico com o pé direito. Neste domingo, o time de José Roberto Guimarães venceu a Rússia por 3 sets a 0 (25/23, 25/23 e 25/22) na decisão do Montreux Volley Masters, na Suíça, e conquistou o hexacampeonato do torneio de forma invicta e sem perder um set sequer. O destaque e maior pontuadora da partida foi a ponteira Fernanda Garay, com 16 pontos. A central Juciely também fez grande partida e ajudou com 14 pontos. Pelo lado russo, a oposto Isaeva foi a melhor jogadora, com 13 pontos.
Todas as seleções que disputaram a competição enviaram grupos jovens, nesse início de ciclo olímpico. Os times mais experientes foram o Brasil, que contou com quatro jogadoras campeãs olímpicas em Londres-2012 (Dani Lins, Adenizia, Fernanda Garay e Tandara), e a República Dominicana, que estava com o time principal.
Derrotada pelo Brasil na semifinal, a República Dominicana conquistou a medalha de bronze ao derrotar a Itália por 3 sets a 1, com parciais de 15/25, 25/22, 25/18 e 26/24. O Japão ficou com a quinta colocação ao vencer a China por 3 sets a 1, parciais de 25/20, 27/25, 13/25 e 25/19.
BRASIL 3 x 0 RÚSSIA (25/23, 25/23 e 25/22)
BRASIL - Dani Lins, Monique, Juciely, Adenízia, Fê Garay e Pri Daroit. Líbero - Camila Brait. Entraram: Fabíola, Michelle e
Suelen. Técnico: Zé Roberto Guimarães
RÚSSIA - Pankova, Isaeva, Zaryazhko, Shlyakhovaya, Chaplina e Dianskaya . Líbero - Malova. Entraram: Malykh, Matienko,
Vinogradova e Goncharova. Técnico: Marichev Iuriy
Jogos do Brasil na Primeira Fase
Brasil 3 x 0 Suíça (25/21, 25/23 e 25/10)
Brasil 3 x 0 China (25/19, 27/25 e 25/23)
Brasil 3 x 0 Rússia (25/14, 25/20 e 25/23)
Semifinal
Brasil 3 x 0 República Dominicana (25/19, 25/18 e 32/30)
Final
Brasil 3 x 0 Rússia (25/23, 25/23 e 25/22)

Brasil e Russia estão na final do Montreux Volley Maters

A Seleção Brasileira se classificou para a decisão da Montreux Volley Masters na tarde deste sábado. Na semifinal, as comandadas do técnico José Roberto Guimarães venceram a República Dominicana por 3 sets a 0, com parciais de 25/19, 25/18 e 32/30.
O Brasil conseguiu impor seu ritmo e dominou o confronto. A terceira e última parcial, no entanto, durou 37 minutos e foi marcada pelo intenso equilíbrio nos instantes finais. Atual campeã olímpica, a Seleção desperdiçou sucessivos match-points, mas conseguiu aniquilar o esboço de reação das dominicanas.
Responsável por 15 pontos, 13 de ataque e dois de bloqueio, Fernanda Garay foi a recordista no quesito. Juciely (13) e Priscila Daroit (12) também tiveram atuações decisivas. Do outro lado da quadra, Bethania de la Cruz anotou 14 pontos.
Com o triunfo sobre as dominicanas, a renovada Seleção Brasileira garante presença na decisão da Montreux Volley Masters
contra a jovem e alta seleção russa, que venceu a Itália, num jogo disputadíssimo por 3x2 sets.