11 de out de 2014

Brasil vence a República Dominicana e vai invicto à semifinal do Mundial




O Brasil venceu seu 11º jogo no Mundial de vôlei feminino nesta sexta-feira. Dessa vez, a vitória veio contra a República Dominicana por 3 sets a 0, parciais de 25-19, 25-21 e 25-17, e confirmou a seleção de José Roberto Guimarães como líder do grupo na terceira fase.

O jogo foi muito mais fácil que qualquer torcedor brasileiro poderia esperar, afinal, a partida valia a classificação para a República Dominicana. Essa derrota tirou as caribenhas da competição e garantiu a China na semifinal.

Agora, a seleção brasileira vai pegar os Estados Unidos na semifinal. O confronto será às 12h30 (horário de Brasília) deste sábado. Depois disso, Itália e China se enfrentarão. No domingo, o Mundial terá sua decisão.

Fases do jogo: A República Dominicana entrou em quadra ainda abatida pela derrota de virada para a China. Era visível a dificuldade do time caribenho em atacar e seus primeiros pontos vieram apenas em erros de saques brasileiros. Enquanto isso, a seleção ia construindo uma boa vantagem no marcador, em boa parte graças a Fabiana, que fez seis dos 12 primeiros pontos do Brasil. A equipe de Zé Roberto só sofreu sustos quando chegou ao 22º ponto, quando sofreu três contra-ataques seguidos. Mesmo assim, nada que pudesse tirar a parcial do time.

A facilidade do set inicial foi encontrada novamente na segunda parcial. O Brasil não sofria sustos e conseguia marcar pontos de saque e bloqueio com muita facilidade, como aconteceu em jogadas de Dani Lins e Sheilla. Com o tempo, a tranquilidade no placar foi aumentando até que virou desconcentração por parte das brasileiras. Ao chegar ao 23º ponto, a diferença brasileira era de sete pontos e ela caiu para apenas dois com uma sequência de erros, que acabou em um ataque de Sheilla. Novamente a reação dominicana foi em vão.

No terceiro set, a situação brasileira ficou um pouco mais difícil, com o placar apertado no começo, mas nada que assustasse a equipe. Bastou um pouco mais de capricho e bons saques de Sheilla para o Brasil construir novamente uma grande diferença, o que foi suficiente para definir o jogo. O último ponto brasileiro na terceira fase veio das mãos de Fe Garay.

Toque do técnico: Antes do duelo, José Roberto Guimarães alertava para a ameaça que De La Cruz era para o Brasil. A atleta havia saído de quadra do jogo contra a China com quase 40 pontos. Por isso, o treinador orientou suas jogadoras a forçarem o saque em cima da atleta para tentar tirá-la do ataque.

Melhor – Sheilla: Ela tinha um desempenho muito inconstante ao longo de todo campeonato. Alternava bons momentos com jogadas muito ruins. Mas, nesta tarde ela foi a melhor em quadra. Pontuou no ataque, no bloqueio e no saque e ajudou o Brasil a conquistar a vitória tranquila.

Pior - De La Cruz: Se saiu de quadra contra China chamando a atenção por ser excelente desempenho em quadra, a jogadora sumiu contra o Brasil. Pontuou muito pouco e errou ataques e passes.

Para lembrar

Pausa. O jogo chegou a ficar paralisado por muitos minutos, com as jogadoras se movimentando em quadra para manter o aquecimento. A arbitragem questionava o rodízio brasileiro, mas depois da pausa perceberam que ele estava certo.

Defesa. Chamada de Gamova do Caribe por seu treinador, Martinez mostrou sua dedicação em uma bola que foi buscar no fundo da quadra. Ela levantou com dores na mão e mesmo assim voltou ainda para atacar, mas a tentativa acabou indo para fora.

Campanha. Apesar de estar eliminada do Mundial, as atletas da República Dominicana podem se vangloriar de terem feito a melhor campanha da história do seu país.

Título só invicto. Como o Brasil disputará apenas a semifinal e final pela frente, o título inédito virá com direito a vitória em todas as partidas da competição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário