28 de set de 2013

Jéssica Lima, uma "Gigante" de 1,98m aos 13 anos vira promessa no vôlei.

Jéssica Lima, meio de rede das categorias de base do Tijuca, tem 13 anos e 1,98m

Luiz Paulo Montes
Do UOL, em São Paulo
Uma 'gigante' de 13 anos tem chamado a atenção de técnicos e dirigentes que mexem com a base do vôlei brasileiro. Jéssica Santos, meio de rede do Tijuca, no Rio de Janeiro, tem 1,98m e desponta como forte candidata a ser a primeira a ultrapassar os 2m no feminino brasileiro.
A carioca, que é da categoria mirim, é titular em sua equipe e também no infantil, a categoria de cima. Perto de suas companheiras, o tamanho de Jéssica chama ainda mais a atenção. Hoje, a central Thaísa, da seleção brasileira e do Molico/Osasco é a mais alta do país – tem 1,96m.
Foi espelhada na seleção, aliás, que Jéssica começou a se interessar pelo vôlei, além do envolvimento da mãe, ex-jogadora da modalidade. Segundo a jovem atleta, o bom momento do Brasil no vôlei a incentivou ainda mais.
"Eu comecei porque gostava muito quando era mais nova, até pela minha mãe, que jogava. Então eu queria ser igual a elas, da seleção. Queria estar com elas, chegar na seleção também", afirmou a garota, em entrevista ao UOL Esporte.
Jéssica diz que recentemente passou por uma avaliação médica, mas que não é possível saber quanto mais ela ainda irá crescer. De acordo com a jovem, os exames mostraram, porém, que ainda há espaço nos ossos para ela crescer consideravelmente.
No vôlei mundial, uma mulher acima de 2m é raro. Conhecidamente, a mais famosa é a russa Ekaterina Gamova, de 2,02m, carrasca brasileira nos Jogos Olímpicos de Atenas-2004 e nos Mundiais de 2006 e 2010.
Contra rivais 'baixinhas',se comparadas a ela, Jéssica se destaca. E admite que a altura é o grande facilitador nas categorias de base. Com ela de titular, no ano passado, o Tijuca conquistou todos os campeonatos que disputou. Neste ano, já faturou o carioca no infantil.
"Eu não tenho muitas dificuldades (pela minha altura). Só sofro no ônibus (risos). Fico bem apertada. E só durmo em cama de casal, em cama de solteiro não caibo", declarou.
Um dos 'pontos negativos' do tamanho de Jéssica são os tênis. Com pés 49, a meio de rede usa calçados número 50, e não os encontra no Brasil. Por isso, o pai tem de comprar nos Estados Unidos. "Aqui não costuma ter do meu tamanho. Só lá fora mesmo", revela.
Arquivo Pessoal

Nenhum comentário:

Postar um comentário