25 de set de 2014

Brasil passa tranquilamente pelo Canadá.



O Brasil deixou fácil a partida contra o Canadá pelo Campeonato Mundial feminino de vôlei, em Trieste, na Itália. Fazendo valer sua melhor qualidade desde o 1º ponto, a Seleção precisou de três sets para matar o jogo e sofreu somente 40 pontos durante toda a partida. As parciais foram de 25/14, 25/8 e 25/18.

A destaque do jogo foi a ponteira Jaqueline, com 14 pontos, seguida pelo oposta Sheilla, com 13. Já a boa participação brasileira na partida teve como explicação o saque, que a todo o momento quebrava o passe das adversárias, tornando a partida ainda mais fácil. O ataque também deu um show à parte, com apenas dois erros.

Agora, o Brasil terá um dia de folga no Mundial, mas volta à quadra neste sábado, quando enfrenta a Turquia, às 15h (horário de Brasília). O Brasil lidera isoladamente o Grupo B do torneio, com nove pontos, ainda sem perder nenhum set, e já garantiu vaga à próxima fase.

O primeiro set foi simples para o Brasil. Com Jaqueline e Sheilla inspiradas e pontuando bem (foram cinco pontos para cada uma), a Seleção só viu o Canadá postar alguma ameaça no começo do set, quando manteve o placar próximo, com 13 a 10, em desvantagem.

A partir desse momento, o Brasil conquistou seis pontos seguidos, elevando o placar a 19 a 10 e ganhando mais tranquilidade ainda na parcial. Após isso, foi só ter calma para fechar o set, o que aconteceu em uma bola de Jaqueline (não poderia ser diferente), terminando a parcial em 25 a 14.

A parcial seguinte começou da mesma maneira. O Canadá abriu 2 a 0 e, na sequencia, viu o Brasil emplacar sete pontos e ir à frente no primeiro tempo técnico (8 a 3). Assim como no primeiro set, o Brasil conseguiu uma incrível sequencia de pontos, marcando seis vezes seguidas sem resposta das canadenses, até um erro de saque de Sheilla (14 a 4).

A tranquilidade da Seleção ficava claro, além das expressões das jogadoras em quadra, pelo discurso sereno de José Roberto Guimarães nos tempos técnicos. Austero, como sempre, ele apenas motivava suas atletas a manter a concentração, já que estavam com a partida em mãos.

Mais quatro pontos seguidos e o Brasil já encaminhava a fácil vitória, atingindo 18 a 5 no placar. Dois acertos do Canadá, e mais seis seguidos da Seleção, que conseguiu fechar a parcial sem nem suar, em 25 a 8, mais uma vez pelas mãos de Jaqueline, que teve cinco pontos, assim como Sheilla e Fabiana.

O set final começou à todo vapor, com a Seleção já abrindo quatro a zero no placar e, posteriormente, aumentando a vantagem para 8 a 4. O Brasil começou a dar chances ao alto bloqueio canadense, permitindo mais pontos ao Canadá, antes da parada técnica, do que em todo o segundo set (16 a 11)

Ainda assim, a equipe manteve a tranquilidade durante a parada, apenas atentando para o saque de Dani Lins, a fim de tirar Page do ataque canadense. Na volta, o Brasil ainda abriu sete pontos de vantagem (19 a 12), até o treinador alemão do Canadá parar a partida novamente.

Zé Roberto passou a descansar algumas jogadoras, com as entradas de Adenízia e Gabi nos lugares de Fabiana e Fê Garay. Depois, foi a vez de Natália entrar no posto de Jaqueline.

O Brasil trocou pontos com o Canadá, sem nunca ceder a ampla vantagem que tinha na partida, fechando a partida com extrema facilidade em 3 sets a 0, com a parcial final sendo atingida em 25 a 18. Classificação na mão e invencibilidade mantida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário