1 de set de 2014

Brasil derruba 'canhão' alemão e vence jogo chave no Mundial de Vôlei na Polônia


Por José Ricardo Leite

Já viu disco voador? A seleção masculina de vôlei pode falar sobre isso
O 'canhão' alemão Gyorgy Grozer não faz milagre sozinho. Mesmo com boa atuação, seu time não foi páreo para a seleção brasileira, que passou fácil pelo time europeu com um 3 a 0 (25-21, 25-19 e 25-17) em sua estreia no Mundial masculino de vôlei, nesta segunda-feira, na cidade de Katowice, na Polônia.

O ponteiro húngaro naturalizado alemão, principal jogador de seu time, tem saques que chegam a 128 km/h e incomodam muito as recepções rivais. Deu seu cartão logo de visitas logo no primeiro saque, em que a defesa brasileira se complicou e viu o time rival marcar o ponto. Mas, depois disso, nem mesmo a boa atuação de Grozer foi suficiente para impedir uma fácil vitória da equipe verde e amarela.

O resultado representa um bom encaminhamento para a primeira posição em sua chave, já que a equipe considera a Alemanha o time mais forte do grupo B, que ainda tem as seleções de Cuba, Finlândia, Coreia do Sul e Tunísia. O triunfo de hoje era considerado chave para ser primeiro, vide que a seleção cubana está com uma equipe muito jovem e os outros rivais ainda estão um pouco abaixo no nível técnico. A equipe de Bernardinho volta a jogar na próxima quarta-feira, às 15h15 (horário de Brasília), com Placar UOL Esporte.

Fases do jogo: O Brasil teve sua formação inicial com Bruninho, Lucão, Murilo, Lucarelli, Wallace e os líberos Felipe e Mário Jr. O time não começou bem o primeiro set e parecia desatento. Viu o time rival abrir três pontos de vantagem e liderar até o décimo ponto. Só foi tomar a ponta em uma boa sequência de saques de Gustavo, no momento em que virou o jogo para 13 a 10. A partir daí passou a tomar conta. Conseguiu neutralizar os fortes saques de Grozer, enquanto Gustavo, Lucão e Lucarelli passaram a virar quase todas as bolas. O time dominou o restante da parcial até marcar 25 a 21.

O segundo set foi equilibrado, sem nenhum time deslanchar no placar. Mas o Brasil comandou o tempo todo. As fintas de Bruninho surtiam efeito na distribuição, e o Brasil atacava quase sempre com liberdade e o bloqueio rival fora da jogada. No fim da parcial, Bernardinho ainda fez testes ao colocar Leandro Vissotto, o levantador reserva Raphael e Lipe, que já havia entrado no fim do primeiro set. O ritmo não caiu e a equipe fechou em 25 a 19.

No terceiro set, a Alemanha passou a arriscar e forçar mais no saque. No começo não deu resultado e o Brasil recebia bem ou se aproveitava dos erros, encontrando ainda mais facilidade do que antes. Chegou a abrir 18 a 11. A tranquilidade fez Bernardinho novamente fazer testes. Raphael, Lipe e Vissotto voltaram à quadra. Mais uma vez o time soube controlar a partida até fechar em 25 a 17.

O melhor: Lucão - Junto com Murilo, foi decisivo nos momentos em que a equipe estava atrás no primeiro set ao virar bolas importantes. Depois, no segundo, foi bem no bloqueio e fez ace que deu moral ao time.

O pior: Gunthor - O grandão alemão de 2,07 m foi parado diversas vezes em que foi acionado, mesmo com o bloqueio brasileiro sendo mais baixo em algumas das disputas.

Toque dos técnicos: A primeira parada de Bernardinho foi providencial. O pior momento do time na partida foi no começo do segundo set, quando via o time alemão comandar o placar e abrir três pontos. Optou por parar o jogo no 8 a 5. Ali foi o momento de virada da equipe, que desde então não sofreu mais sustos.

Para lembrar:
A vitória tranquila não significa vida fácil para o elenco. Folga, apenas no restante desta segunda-feira. Na terça-feira a equipe já faz treinamento visando ao jogo de quarta, contra a Tunísia.



Nenhum comentário:

Postar um comentário