21 de jul de 2013

Brasil leva um sonoro 3x0 e a Russia mais uma vez é campeã da Liga Mundial2013

A Seleção Brasileira masculina de vôlei voltou a cair diante da Rússia e, neste domingo, acabou com o vice-campeonato da Liga Mundial. Apática dentro de quadra na cidade argentina de Mar del Plata, a equipe de Bernardinho sucumbiu novamente diante de seu "novo carrasco" recente e foi derrotada por 3 sets a 0, parciais de 25/23, 25/19 e 25/19.

O duelo deste domingo é apenas mais um capítulo de uma freguesia que vem se desenhando nas últimas temporadas entre as duas seleções: recentemente, em partidas oficiais, o Brasil caiu diante da Rússia na final Liga em 2011, na decisão da medalha de ouro dos Jogos Olímpicos de Londres em 2012 e na primeira rodada da Liga Mundial, na quarta-feira.

Maior campeão da competição, o Brasil, que poderia ter conquistado seu décimo título, acabou vendo a equipe adversária erguer a taça do torneio pela terceira vez. O destaque da final foi o russo Nikolay Pavlov, que enterrou 22 bolas na quadra brasileira - para se ter uma ideia, ele fez mais pontos que os três principais atacantes nacionais no jogo, juntos: Lucarelli (8), Vissotto e Wallace (6 cada).

A partida começou de maneira insólita e a favor da Seleção Brasileira: apática, a Rússia entrou em quadra desligada, abusando dos erros e permitindo que o time verde-amarelo abrisse uma surpreendente vantagem de 5/0. Os europeus, entretanto, acordaram a tempo: viraram e tiveram quatro pontos de frente em 15/11.

O set voltou a ficar equilibrado e empatado em 19/19, até o Brasil recuperar a vantagem e ficar a três pontos da vitória, com 22/21. Os russos, entretanto, não se precipitaram: viraram para 24/22 e fecharam a disputa em 25/23

. Se a primeira etapa de jogo foi equilibrada, a segunda foi completamente diferente. A seleção russa destruiu o Brasil, conservando durante boa parte do set com uma vantagem de pelo menos quatro pontos. Resultado: fechou com 25/19.

O panorama não mudou na parcial seguinte. Bernardinho até tentou sacudir a Seleção trocando o levantador Bruninho por William Arjona, mas a Rússia continuou extremamente poderosa. Os europeus abriram vantagem no marcador e, após terem 10/4, apenas administraram a diferença até Pavlov cravar a última bola do jogo na quadra e fechar final em uma hora e 24 minutos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário